segunda-feira, 30 de julho de 2018

Festival R.U.A : Neste domingo Recife virou um palco a céu aberto

O que você achou? 

Artistas circenses, música, teatro , dança, grafitagem e brincadeiras: o projeto Recife Urbana Arte deixou o Recife antigo ainda mais colorido.

Um palco principal e vários polos culturais. Para todas as idades, gostos e estilos, várias formas de manifestação artística. 

Ontem o festival RUA aconteceu no Recife antigo, polos infantis e adultos fizeram a tarde dos recifenses mais animada: Pintura corporal e grafitagem, música eletrônica, artes circenses, mágica, malabares, pernas de pau e  panos artísticos encantavam.

Durante o dia ficaram  expostos 27 painés grafitados, os artistas pernambucanos puderam ter o trabalho admirado em uma galeria ao ar livre. Ao anoitecer as telas ganharam ainda mais cor, com a técnica vídeo mapping que permitiu realizar também os movimentos das obras.




Os olhos atentos mostravam  aprovação.


No palco principal a primeira atração fez refletir, o grupo Frente Trovadora, formado por quatro artistas de rua  do município de Alagoa Grande na Paraíba, trouxe arte e cultura em forma de música e poesia.

Já a segunda, erá muito esperada pelos pequenos, o famoso tio Bruninho animou e fez até gente grande dançar, músicas como: Eu vou para a escola e Zé bochecha não poderiam ficar fora do repertório. O jacaré e a tartaruga guitarrista também participaram da apresentação para a alegria da criançada.

A atração musical adulta foi o cantor pernambucano Romero Ferro que participou também da programação do Festival de inverno de Garanhuns.



Para encerrar a programação do palco principal, Dielson Pessoa, coreógrafo e bailarino pernambucano apresentou "O diário das frutas" com a Cais Cia. de Dança. Crônicas escritas  pelo jornalista e antropólogo Bruno Albertim foram inspiração, tomam como ponto de partida frutas típicas do Nordeste, como a mangaba, sapoti, caju e jambo.

São utilizadas projeções de obras de Tereza Costa Rêgo, também criadas a partir dos textos de Albertim. Os trabalhos reforçam a força da simbologia das frutas enquanto símbolos para além da alimentação.



Com o apoio da Prefeirura de Recife a 1° edição do festival Recife Urbana Arte aconteceu no Recife antigo, com 8 polos reunindo vários tipos de arte. O evento foi aberto ao público com entrada gratuita. Enaltecendo o trabalho do Artista Pernambucano, com um olhar voltado principalmente para os artistas de rua.

Nenhum comentário:

Postar um comentário