quarta-feira, 25 de março de 2020

Choro na Chuva é o terceiro single de CinePoesia

O que você achou? 
Léa Freire vem apresentando seu novo disco solo em singles e filmes, trabalho revela a compositora e flautista agora no piano.

Está disponível  Maré Ardida, a terceira música e filme de CinePoesia, próximo disco de Léa Freire. 
CinePoesia vem sendo lançado em uma série de singles nas plataformas digitais e filmes no canal Youtube da Maritaca Discos. Fazendo um diálogo entre imagem e som. As músicas ganharam o toque cuidadoso no aúdio de Felipe Senna e Homero Lotito e os videos são de Lucas Weglinski. 



Sobre Léa Freire

Reconhecida como uma das principais flautistas brasileiras, Léa apresenta agora sua outra face musical como pianista, em disco gravado solo.  Choro na Chuva foi composta quando chovia e havia um tamborilar num compasso incomum. Traz, como numa tempestade, os graves dos trovões que se encontram com os agudos das águas, sob uma nota mais aguda do vento. 

"Água por todos os lados. Choro na Chuva tem choro, chuva, rio, trovão, piano navegante, pingos e respingos, tudo. O respingar do choro evolui para a tempestade e esta para a bonança da melodia, passando por compassos esquisitos que geram o movimento do vento, o farfalhar das árvores, no vai e vem rodamoinho que lentamente se acalma na melodia", conta Léa sobre sua composição.


As imagens no filme de Lucas Weglinski, em P&B, são de um piano sob as águas, que se banha na cadência das gotas e navega nos meandros do choro através de rios pluviais, acompanhando a forma da música.


Antes de Choro na Chuva, Lea apresentou Maré Ardida, uma revisitação da música Maré, do disco Cartas Brasileiras, em nova versão com arranjo para piano, novos intervalos 'ardidos' e acompanhamentos.  E Turbulenta,  uma "locomotiva sonora" que se alterna em solo ou como acompanhamento.


Confira os Singles:









Nenhum comentário:

Postar um comentário